Lembrando do esquecido
Me perdendo no sentido
Isolando-me do físico
Se conectando ao divino

Saindo do lampejo da alma
Do acalento da calma
Do furdunço da vida

Segundos que não voltam
O Chronos que pausa
O Ontem que vem
O Amanhã que já veio
E o hoje que freiou o tempo.

Tu que és tudo
Alfa e Ômega
Se conecta comigo
Logo eu,
que sou nada

Eu, criatura
que só quer a Tua morada
Tu Criador
que salva minh’alma.